segunda-feira, 19 de julho de 2010

Batalha dos anos 80 volta e ainda diverte



Pois é, não resisti e volto a escrever sobre novelas, algo que não colocava aqui no blog há muito tempo. O motivo é a minha memória afetiva a uma trama que gostei muito quando era criança e agora voltou com uma nova roupagem: Ti-Ti-Ti, escrita originalmente por Cassiano Gabus Mendes nos anos 80 e adaptada por Maria Adelaide Amaral, que é mais conhecida pelas minisséries, como A Muralha, Um Só Coração e Os Maias.

Admito que, quando ouvi falar que a eterna briga entre Jacques LeClair / André Spina e Victor Valentin / Ariclenes Martins voltaria à televisão, não fui muito fã da ideia. Afinal, a novela foi muito marcante e quem a assistiu, há muitos anos atrás, ainda a tem na memória. Então, para que fazer tudo de novo? Mas a autora da nova versão decidiu fazer algumas mudanças nos personagens e juntou uma trama em outra, no caso, Plumas e Paetês, também de Cassiano Gabus Mendes. No primeiro capítulo, que foi exibido com apenas um intervalo comercial, deu para ver que a iniciativa pode "dar liga".

De uma maneira pouco vista em estreias de novelas, Ti-Ti-Ti não se preocupou em mostrar seus protagonistas logo nas primeiras cena. Os telespectadores foram apresentados, inicialmente, aos personagens que vão cercar Jacques (que nesta atualização, é bem mais brega, a começar pelo laço no pescoço e a forma afetada como fala, numa composição divertida de Alexandre Borges) e Victor (um Murilo Benício um pouco mais atrapalhado e casca grossa do que Luiz Gustavo, mas também engraçado). As tramas desses coadjuvantes também podem render bastante, como o caso do jovem Osmar (o galãzinho Gustavo Leão, num papel ousado para sua carreira que ainda está no início), que se afastou da família para se assumir gay e feliz ao lado de Julio (André Arteche), Mas ele sofrerá um grave acidente e morrerá, envolvendo a amiga Marcela (Isis Valverde, que continua atuando da mesma forma que em novelas anteriores) numa confusão por causa de sua gravidez.

Além disso, a novela também fez, em seu primeiro capítulo, uma irônica crítica ao culto à magreza no mundo da moda. Ao saber que teria que levar um grupo de modelos a um desfile de Jacques Leclair, Ariclenes decide levá-las para comer salgados gordurosos por horas, para que ficassem mais "cheinhas". No fim, ele as leva ao lugar marcado horas depois e se reencontra com seu eterno inimigo, ao som de uma música de filmes de faroeste, mostrando que a guerra está só começando.

Depois do fracasso que foi a tola e confusa Tempos Modernos, parece que a Globo pode recuperar sua audiência no horário das 19h, com o remake de Ti-Ti-Ti. Foi só o primeiro capítulo, é verdade, mas a impressão que ficou é de que a nova novela está com tudo para se consagrar entre o grande público. Agora, é aguardar os próximos capítulos.

Um comentário:

ricardo disse...

HEHEHEHE. Como sempre muito bom célinho. Já te disse, vc é um otimo crítico. Agora de novelas também. Se cuida LEÃO LOBO E NELSON RUBENS.